terça-feira, 8 de agosto de 2017

Ti-ti-tirinha


terça-feira, 1 de agosto de 2017

Mestre em apuros


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Vida de aposentado 1


segunda-feira, 17 de julho de 2017

Tirinhas - Nova temporada


Há pouco mais de um ano, o site que eu usava para desenhar tirinhas (Bitstrips) saiu do ar, me deixando órfão e com duas mãos esquerdas. Mas, como dizem por aí, uma chacoalhada sempre ajuda a gente a sair do lugar. Então, resolvi aprender a desenhar para poder fazer as tirinhas eu mesmo.





Pois bem, missão dada é missão cumprida, matriculei-me na Escola Oficina, aqui em São Bernardo, no início deste ano, e estou me divertindo mais do que nunca. Na semana passada até participei de uma exposição de alunos.





Ainda tem muito chão pela frente. Me aguardem!

terça-feira, 11 de julho de 2017

O escultor - Scott McCloud


Para quem curte uma boa graphic novel



domingo, 9 de julho de 2017

quinta-feira, 6 de julho de 2017

Mau exemplo

Um flagrante mau exemplo. O ideal é trocar pelo menos uma vez por dia.


quinta-feira, 29 de junho de 2017

As voltas que o mundo dá

Há dez anos:
- Boa aula, filho!
- Bom trabalho, pai!

Hoje:
- Bom trabalho, filho!
- Boa aula, pai!

segunda-feira, 19 de junho de 2017

O apanhador no campo de centeio, J. D. Salinger

Por que nunca havia lido esse livro? Por que? Por que? 

Resolvi ler depois de, por coincidência, ter lido dois livros que faziam referência a ele.

Um deles é Herege, de Leonardo Padura, em que um dos personagens principais volta e meia reclamava do sacana do Salinger, que havia escrito um único romance em sua vida.

O outro foi um livro chamado A arte de quadrinizar, de Ivan Brunetti, onde ele propõe resumir um livro em um único quadrinho e dá como exemplo O apanhador no campo de centeio. Veja o resultado abaixo:




É muito bom. Recomendo.

domingo, 11 de junho de 2017

Brindes

São Bernardo do Campo, 2 de junho de 2017

Prezados amigos do CREA,

Acuso o recebimento na data de ontem do valioso mimo que vocês me enviaram. O calendário de 2017 ficou muito bonito na minha mesa!

Outrossim, gostaria de sugerir uma redução de custo para o ano que vem, imprimindo o calendário apenas a partir de junho, proporcionando uma economia de aproximadamente 42%!

Sem mais para o momento, subscrevo-me atenciosamente e reitero os meus mais elevados protestos de estima e consideração.

Edison


terça-feira, 23 de maio de 2017

Primeiras tirinhas

Dos arquivos da minha mãe, minhas primeiras tirinhas:





sexta-feira, 12 de maio de 2017

Amigos e inimigos imaginários

A passagem da fase criança para a adolescência mais ou menos coincide com a substituição dos nossos amigos imaginários pelos inimigos imaginários.

Montes deles. São tantos, que passamos o resto da nossa vida adulta combatendo-os.

Ao longo dos meus quase 60 anos, dei cabo de vários deles. Isso me deixa muito leve e feliz, mas a luta continua.

A propósito, antes mesmo de completar os 60, usufruí esta semana, pela primeira vez, o direito de ser um sexagenário: tomei a vacina da gripe "de grátis".

terça-feira, 25 de abril de 2017

First Lady of Song

Ella Fitzgerald completaria hoje, 25/04/2017, 100 anos. Completaria não, completa. Ella é imortal.



segunda-feira, 24 de abril de 2017

2 Irmão


São 2 irmão salgados ou 2 irmão analfabetos? Na dúvida, passei longe.

segunda-feira, 17 de abril de 2017

A voz do dono e o dono da voz


quinta-feira, 13 de abril de 2017

Como um deputado

Fui comprar um purificador de água para minha casa. Custava R$ 799. Perguntei se haveria algum desconto para pagamento a vista e o vendedor me disse que não, mas me daria 5% se eu pagasse em dinheiro em vez do cartão.

O desconto correspondente ao valor de uma pizza me fez ir até o caixa eletrônico para sacar o dinheiro. Cheguei na loja com o bolinho de notas e efetuei o pagamento. 

Me senti como um deputado ou senador, desses corruptos, que faz suas compras em dinheiro vivo. Estranha sensação essa.

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Lista do Fachin

Pergunta a você, que está entre os oito ministros, 24 senadores, 39 deputados e três governadores da lista do Fachin:

"Quem vai pedir afastamento do cargo até a conclusão do inquérito põe o dedo aqui!"

terça-feira, 11 de abril de 2017

Protesto de Úberes


Um infame protesto!

sábado, 8 de abril de 2017

Rato

Um comovente e impressionante relato de um sobrevivente polonês do campo de concentração de Auschwitz. 

Art Spiegelman, um quadrinista americano, reproduz a história vivida por seus pais durante a II Guerra Mundial, desde a invasão alemã até a libertação final, passando por inúmeros episódios de fuga e sua improvável sobrevivência. A história é contada pelo pai dele e, paralelamente às histórias da guerra propriamente ditas, trata também da difícil relação entre o autor e seu pai.

“Maus”, em alemão, significa “rato”, que era o tratamento que os alemães dispensavam aos judeus. A partir daí, o autor desenha seus personagens caracterizados de animais: os judeus são mostrados com rostos de ratos, os alemães como gatos e assim por diante.

Recomendo. Para ler e reler.






quarta-feira, 1 de março de 2017

A minha terra dá mixirica







































Essa inusitada cena da galera colhendo mixirica em plena rua me lembrou aquela velha música de Noel:

A minha terra dá banana e aipim,
Meu trabalho é achar
Quem descasque por mim.
Vivo triste mesmo assim...

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Parabéns, Jazz! 100 anos de gravações!

Hoje, 26/02/2017, é um dia muito importante para os apreciadores da música de Jazz. Há exatos 100 anos foi realizada a primeira gravação desse gênero.



Até hoje ninguém conseguiu definir exatamente em que ano o Jazz começou ou mesmo quando associaram a palavra jazz a um tipo "específico" de música, provavelmente nem é possível isso, visto ser a música de Jazz o produto da evolução e transformação de várias outras vertentes no final do século XIX - vide abaixo:


Apesar da música de Jazz ter um pezinho na Europa, é lícito dizer que a sua maior influência vem da música afro-americana (blues, cantigas de trabalho, gospel etc.).

Originária da região de New Orleans, migrou rapidamente para New York e Chicago no início do século XX, principalmente por causa das más condições para os músicos negros (e não só os músicos) no sul do país e, é claro, pelas grandes oportunidades que as cidades grandes oferecem com sua fome de novidades.

Paradoxalmente, no entanto, sua primeira gravação não seria registrada por músicos negros, e sim pela Original Dixieland Jazz Band (grafada no rótulo do disco como "Jass"), toda composta por músicos brancos.


Note que a música foi rotulada como um Fox Trot, na falta de classificação melhor à época. 

Ouçamos as gravações:

Lado A: "Livery Stable Blues"


Lado B: "Dixie Jazz Band One Step"



O álbum, gravado pela Victor Talking Machine Co., foi um tremendo sucesso, tendo vendido cerca de 1.000.000 de cópias, um número bastante expressivo nos dias de hoje, imagina há 100 anos! Colocou o Jazz no mapa da música norte-americana.

E para comemorar em alto nível, um "Parabéns a Você" em ritmo de Jazz!








segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Aproveitando o terreno

- Eu quero fazer um campo de futebol, mas queria aproveitar o máximo possível do terreno, pode ser?
- Claro, doutor, deixa comigo!



domingo, 5 de fevereiro de 2017

Tadinho do carneiro...



Como se já não fosse ruim o bastante ser capado, fizeram-lhe uma lipoaspiração...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Pinto

O Pinto foi um carro pequeno lançado no mercado americano na década de 60, que, por motivos óbvios, nunca chegou ao Brasil. Ainda mais se viesse acompanhado pela propaganda abaixo...




segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Homenagem

Eu queria muito saber que m... fizeram esses caras para serem "homenageados" com seus nomes em penitenciárias... ou, o que passa pela cabeça dos legisladores para fazer uma "homenagem" assim?


sábado, 14 de janeiro de 2017

Tirando a barba...

... aos poucos


quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Torneira anti-social... xi, escapou!


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Arquitetura mista...

Mistura de Gaudi com Picasso


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Tabuleiro

Acho simpática a ideia de colocar tabuleiros em praças públicas. Não obstante (sempre quis usar essa palavra), fica aqui minha humilde sugestão para melhorar esse equipamento comunitário: alinhar o tabuleiro com os banquinhos. Pode ajudar a prevenir dor nas costas.













terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Balanço Literário 2016

Como tenho feito nos últimos anos, segue a lista livros que li em 2016. Resenhas e indicações somente sob consulta.

1 Geraldo Vandré - Uma canção interrompida Vitor Nuzzi
2 A família Lessa no mundo José Luiz Lessa
3 A noite do meu bem Ruy Castro
4 D. Pedro: A história não contada Paulo Rezzutti
5 Getúlio: 1882-1930 Lira Neto
6 Oswald de Andrade Maria Augusta Fonseca
7 Getúlio: 1930-1945 Lira Neto
8 Teoria musical para leigos Michael Pilhofer e Holly Day
9 Getúlio: 1945-1954 Lira Neto
10 2001: uma odisseia no espaço Athur C. Clarke
11 A garota na teia de aranha Devid Lagercrantz
12 Eis aqui os Bossa-Nova Zuza Homem de Mello
13 Esaú e Jacó Machado de Assis
14 Como ouvir e entender música Aaron Copland
15 Guerra e Paz Leon Tolstói
16 1993 Zetti e André Plihal
17 Crise Mike O'Connor
18 A bibliotecária de Auschwitz Antônio G. Iturbe
19 Villa Kyrial Marcia Camargos
20 Red Dragon Thomas Harrid
21 O caminho do Anhanguera Nestour Goulart Reis
22 São Bernardo do Campo - berço do Brasil moderno Fernando Longo
23 Engenheiros da Vitória Paul Kennedy
24 Idênticos Scott Turow
25 O cirurgião Tess Gerritsen
26 As línguas do mundo Charles Berlitz
27 A amiga genial Elena Ferrante
28 O demônio na cidade branca Erik Larson
29 Wild Cards - vol. 1 George Martin
30 As irmãs Romanov Helen Rappaport
31 Crônicas Saxônicas: Guerreiros da Tempestade Bernard Cornwell
32 Eu sou o peregrino Terry Hayes
33 Dolores Duran Rodrigo Faour
34 Filosofia para corajosos Luiz Felipe Pondé
35 Guia politicamente incorreto do sexo Luiz Felipe Pondé
36 O último judeu Noha Gordon
37 Terra sonâmbula Mia Couto
38 O Negociador Frederick Forsyth
39 Nara Leão, uma biografia Sérgio Cabral
40 Mr. Mercedes Stephen King
41 O monge inglês Valeria Montaldi
42 1494 Stephen R. Bown
43 Tempos vividos, sonhados e perdidos Tostão
44 Toda luz que não podemos ver Anthony Doerr
45 O punho de Deus Frederick Forsyth
46 The buffer's guide to wine Jonathan Goodall e Herry Eyres
47 Uma autobiografia Rita Lee
48 Achados e perdidos Stephen King
49 The perfect mile Neal Bascomb
50 Ragtime E.L. Doctorow
51 Terra Papagalli José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta
52 A viagem da família real Kenneth Light
53 Número Zero Umberto Eco

Curiosidade, dos 53 livros acima, 35 foram lidos no formato digital.

domingo, 1 de janeiro de 2017

Injustiça

Acho uma injustiça a forma como é desconsiderada essa numerosa categoria de figuras públicas: os puxa-sacos.

Em pleno primeiro de janeiro, um domingo, lá estão eles de plantão! E você aí, descansando...
Related Posts with Thumbnails